A quimera

A quimera
Minha última quimera!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

O Mundo é Um Moinho - Cartola

Adicionar legenda


Ainda é cedo, amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho
Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés

domingo, 23 de dezembro de 2012


Aquilo que não é poesia, não tem dono, a época certa passa, e não tem mais época certa, e o sentido perde o sentido...

a melodia tem um trem incutido...


http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=UYwyzhSaymE



‎...é quando se ouve aquela melodia e se sabe que aquela época não volta mais... as batidas do violão vão tocar seu coração como pregos enferrujados, talvez seja a melhor definição para algo que não se viveu, e que a magia se perdeu...


sábado, 15 de dezembro de 2012

^^

Ela não sabia a voltagem da tomada do disco voador...


Dia do moço moço


E o moço, continua moço
tão moço, a idade pousa suave
mesmo no dia de ficar mais moço

como em toda mocidade,
os lábios são tão frescos,
os olhos brilham tanto

as mãos são tão firmes,
o cabelo tão macio,
a pele tão cheirosa

moço, que nas moças provoca arrepios
sabes que mais me provoca neste dia de teus anos?
no próximo dia de sua mocidade eu te conto...

Ao aniversário de Gilberto Souza

Ao sol lunar




Um sol nascido de sementes de girassol que insiste em ser lua
me vira ao avesso, muda minha orbita...
logo eu tão acostumada a ser lua, agora serei sol?
Lua de sementes de girassol, por que me giras assim?
qual feitiço lançaste sobre mim?
por que meu sono pesa menos, e menos...

ao som de uma voz feminina eu giro como um girassol
um girar de dança...
eu seria lua a dançar pro sol, mas não sou mais lua...

quem te semeou girassol lunar? Foi algum disco voador?
Por que veio brotar em meu jardim?
Por que não me deixa ser lua? Por que não me deixa dormir?

Lua gira o sol... dançando, rodopiando,
deixe meu disco pousar em seu quintal...

Girassol

A Rodrigo Selis

Encontro já brotado

Em um potinho girassóis.
Colho cravos,
tu come os sóis,

debaixo das lembranças
em cima de raízes já sonhadas
de um destino de uma brisa anunciada

riso tímido, formam dois,
ao despedir ficam sós
e o rastro de sementes de girassóis...

Que brote,
que cresça,
que floresça...

Dedico estes versos ao anjo torto de sorriso lindo Rodrigo Selis, da viúva Sarah dos Anjos.
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

Videos

Loading...

Músicas