A quimera

A quimera
Minha última quimera!

sábado, 16 de outubro de 2010

Foi a máquina de escrever que matou a poesia.

Não fui eu
não foi você
nem foi a máquina de escrever
que matou a poesia
não foram os Deuses
nem foi a morte de Deus
não foi o jabá da academia
que matou a poesia

o fim de semana
o fim do planeta
a palavra "sarjeta" no fim do poema
problemas... sempre existiram
esteróides anabolizantes
(samplers)
dicionários de rima
o medo do fim no final das contas
problemas... sempre existiram
sempre existirão

a última palavra é a mãe de todo o silêncio
façamos silêncio para ouvir o último suspiro
descanse em paz a mãe de todas as batalhas
a última palavra é a mãe de todo o silêncio
descanse em paz, dê o último suspiro
façamos silêncio para ouvir o último poema

? por que você não soa quando toca?
? por que você não sua quando ama?
! ninguém derrama sangue
quando perde guerras de fliperama!
? por que você não sua quando toca?
? por que você não sua quando ama?
? por que você não soa quando toca?
? por que você não sua quando ama?

as mentiras da arte são tantas...
...são plantas artificiais
artifícios que usamos
para sermos (ou parecermos)
mais reais
um pedaço do paraíso
uma estação no inferno
uma soma muito maior do que as partes:
as mentiras da arte

(o último poema)


- Problemas... Sempre Existiram - Engenheiros do Hawaii -Composição: Humberto Gessinger



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

Videos

Loading...

Músicas